ARQUEOLOGIA SUBAQUÁTICA

Compartilhe

Projeto de Avaliação de Impactos ao Patrimônio Arqueológico do Molhe da Barra Norte, Jazidas de Empréstimo e Enseada da Praia Central de Balneário Camboriú.

Foram realizadas nos meses de janeiro e fevereiro de 2019 sob coordenação dos Arqueólogos: Renata Rauber, Otávio Arruda Porto e Daivisson Batista Santos, pesquisas arqueológicas terrestre e subaquática na Enseada da Praia Central e no Molhe da Barra Norte no município de Balneário Camboriú. Também foram alvo de pesquisas uma área marítima distante 15 km da costa de Balneário Camboriú.

As pesquisas foram realizadas com o objetivo de avaliar a situação atual do Patrimônio Arqueológico terrestre e subaquático nas Áreas de Influência do Molhe da Barra Norte, Jazidas de Empréstimo e Enseada da Praia Central em função das futuras obras de engordamento da Praia Central de Balneário Camboriú que visa minimizar o risco de alagamentos e danos da infraestrutura na orla marítima e aumentar a largura da praia para fins recreativos e de lazer.

A pesquisa foi autorizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, através da Portaria CNA/IPHAN nº 77 de 14 de dezembro de 2018, processo nº 01510.000518/2018-93 publicada no Diário Oficial da União.

No município de Balneário Camboriú, segundo o IPHAN (2019) estão cadastrados quatro (04) sítios arqueológicos sendo dois Sambaquis denominados como Balneário Camboriú I e Balneário Camboriú II e, dois sítios líticos denominados como Estaleiro I e Laranjeiras III provavelmente vinculados à Tradição Umbu.

Em relação ao Patrimônio Arqueológico Terrestre foram realizadas tradagens num intervalo de 100×100 metros quando possível com o objetivo de evidenciar material e sítios arqueológicos nas áreas de influência do Molhe da Barra Norte e da Enseada da Praia Central, entretanto não foram localizados vestígios nem tampouco sítios arqueológicos.

Em relação ao Patrimônio Arqueológico Subaquático foram realizadas batimetrias, a captura de imagens do fundo do leito marinho com o auxílio de um Side Scan Profiler e mergulhos diretos nas áreas de Jazidas e ao largo da praia Central de Balneário Camboriú. Foram realizados também levantamentos, registros e entrevistas com os pescadores locais sobre as embarcações tradicionais ainda existentes nos limites da praia central e Molhe da Barra Norte de Balneário Camboriú. Após concluída a pesquisa foram registradas 04 Canoas, 01 Canoa Bordada e 13 Botes na área em estudo. Foi localizado também um naufrágio ocorrido em 1927 da embarcação denominada de Rio Tijucas, fora dos limites das áreas de influência do empreendimento.

 Ao final das pesquisas arqueológicas terrestres e subaquáticas não foram evidenciados vestígios, nem tampouco sítios arqueológicos nas áreas de influência do futuro empreendimento.

Compartilhe